sábado, 22 de outubro de 2011

Probióticos 2: Conservas de vegetais, de frutas & bebidas vegetais lactofermentadas

Conservas de vegetais

A maior parte dos vegetais serve para fazer conservas: repolho,
pepino, cenoura, gengibre, nabo, rabanete, beterraba, gengibre,
cebola, cebolinha, alho, abobrinha, quiabo, maxixe, folha de
uva, couve-chinesa e muitos outros. Temperinhos tradicionais
para conservas: cravo, cardamomo, canela, alho, gengibre, pimentas,
ervas aromáticas, sementes de cominho, coentro,
mostarda, zimbro. Invente, experimente!

no missô
Encha um pote de louça ou cerâmica com missô até a metade
e coloque lá dentro cenourinhas, nabos, pepino japonês ou
pequeno (cornichon) em pedaços. Feche com um filó. Depois
de 5 dias pode guardar na geladeira e começar a comer.

em salmoura
2 litros de água sem cloro
100g de sal

Logo cedo aqueça a água até quase ferver; apague o fogo, misture
o sal e deixe esfriar.

Prepare os vegetais, lavando e cortando como quiser, se quiser
cortar, e coloque nos vidros de boca larga, sozinhos ou misturados,
com temperos ou não.

Quando a salmoura estiver fria, cubra com ela os vegetais,
mantendo livres 3cm no alto do vidro e amarrando um pano de
fralda, gaze ou filó para tampar. Deixe 48 horas à temperatura
ambiente. Tire qualquer nata ou mofo que aparecer, tampe bem
e guarde na geladeira. Já pode começar a comer.

Ideal para cebolas inteiras, rabanetes, pepinos e cenouras
pequenos, nabos, brócolis, couve-flor.

em água, sal & soro
O sal ativa e controla a fermentação, o ácido lático do soro do leite também.
A combinação é um sucesso.

medidas de água
Variam. O líquido deve cobrir os sólidos e ultrapassar 2 dedos.

medidas básicas de vegetais, sal & soro
para 1/2 quilo de vegetais,
2 colheres (sopa) rasas de sal marinho, ou
1 de sal e
4 de soro caseiro de iogurte ou coalhada

repolho: chucrute
500g repolho
2 colheres/sopa rasas de sal marinho
1 colher/sopa sementes de cominho

Corte bem fininho o repolho; coloque com o sal numa vasilha
resistente e soque com um pilão de madeira durante dez minutos
ou mais, até juntar um caldo suficiente para cobri-lo bem.

Transfira tudo para um pote de boca larga, junte uma colher de
sopa rasa de sementes de cominho, misture e aperte tudo para o
fundo, de modo que o repolho fique sempre coberto por dois
dedos de caldo. Tampe o vidro, deixe três dias na temperatura
ambiente e então guarde na geladeira. Já pode ser comido, mas
melhora à medida que amadurece.

Importante: manter vazio um espaço de dois dedos no alto do
vidro para o gás da fermentação. Caso apareça espuma, ou mofo,
simplesmente retire. Eles não comprometem a conserva.

nabo daikon
500g de nabo daikon ralado
2 colheres (sopa) rasas de sal marinho, ou
1 de sal e
4 de soro caseiro de iogurte ou coalhada

Repita o método do chucrute.

O nabo daikon ajuda muito a digestão e é comum em casas e
restaurantes japoneses, preparado de vários modos. Diurético e
descongestionante, sua conserva é especialmente rica em
lactobacilos.

gengibre
500g de gengibre
2 colheres (sopa) rasas de sal marinho, ou
1 de sal e
4 de soro caseiro de iogurte ou coalhada
água sem cloro, aquecida até quase ferver, já fria

Descasque e corte o gengibre em fatias finíssimas; repita o
método de socar até juntar caldo. Coloque no pote, aperte,
cubra com a mistura de água, soro e sal. Se for necessário,
acrescente água. Deixe 3 dias à temperatura ambiente, tampe e
guarde na geladeira.

Este gengibre não é doce como o do restaurante japonês. 

cenoura e gengibre
4 xícaras de cenoura ralada
1 colher/sopa de gengibre fresco ralado
3 colheres (sopa) rasas de sal marinho
O procedimento é o mesmo da conserva de gengibre.

couve-chinesa
1k de couve-chinesa
4 colheres (sopa) rasas de sal marinho (40g)

Lave e escorra bem as folhas, polvilhe com sal e coloque sobre
elas uma tábua com um peso de 3k ou mais, para que soltem seu
sumo. Quando estiverem submersas, pode retirar o peso e transferir
para um vidro, com o líquido, enrolando as folhas em charutinhos.

Em três dias a conserva fica pronta. Prove; lave antes de servir se
achar muito salgada.

kimchi
1 repolho de tamanho médio
250g de nabo daikon
1 colher/sopa rasa de sal
3 xícaras de água sem cloro
1 colheres (sopa) de gengibre fresco bem picadinho
1 dente de alho também picadinho
1 cebola picada
1 colher/chá de pimenta vermelha picadinha
1 colher/chá de mel

Corte o repolho em quadrados de 4cm, fatie o daikon e misture
ambos com sal e água numa vasilha grande, onde vão repousar
durante a noite. De manhã remova repolho e daikon e coloque
num pote de louça ou vidro, de boca larga; junte os outros
ingredientes; cubra com o líquido até chegar a dois dedos da
borda. Tampe com um pano e deixe fermentar de três a sete dias.
Guarde na geladeira em vidros pequenos, bem fechados. Esta
receita é tradicional das Coreias do Norte e do Sul, onde se ensina
a não perturbar as conservas sem necessidade.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

conservas de frutas

limão com canela
400g de limão orgânico
3 pedaços de canela em pau
100ml de sumo de limão
3 colheres (sopa) rasas de sal marinho
2 colheres (sopa) de soro de leite caseiro

Corte os limões em fatias bem finas e depois em quartos. Coloque
no pote de boca larga com o sal e a canela e soque um pouco
para liberar o caldo. Acrescente o sumo de limão misturado ao
soro e cubra com ele os limões de modo que o líquido ultrapasse
em dois dedos os sólidos.

Tampe bem e deixe à temperatura ambiente por 2 semanas, virando
o pote todos os dias. Guarde na geladeira e descarte a polpa
quando for usar.

umeboshi / ameixa salgada japonesa
É um rápido e poderoso regularizador do pH do tubo digestivo. A
fruta é a umê (Prunus mume) ainda verde. Riquíssima em ácido
cítrico, deve ficar no sal por um ano e meio, geralmente com
folhas de shissô (Perilla frutescens), para se tornar benéfica.

Quando comprar, guarde durante um ano para ter certeza de sua
eficácia medicinal. E despreze serenamente a data de validade.
Umeboshi, shoyu e missô, quanto mais velhos, melhores.

fazendo umeboshi em casa
4k de umê verde
600g de sal marinho (15%)
1 balde plástico
1 prato que se encaixe bem no balde
1 pano para cobrir
1 peso de 8 quilos

Coloque no balde, lavado e enxugado, a umê verde – limpa, sem
o cabo e sem a tampinha – e bem seca, porque água estraga
conservas. O sal por cima. Então a outra bacia, furada, encaixada
na primeira. Aí um pano cobrindo as duas, até porque ficou um
vão entre uma e outra, e o peso por cima de tudo, que é para as
ameixas soltarem seu caldo.

Depois de um mês aparecem no mercado as folhas de shissô
vermelho. Então, compre

4 maços de shissô vermelho e
2 colheres/sopa de sal.

Lave as folhas de shissô, polvilhe o sal e esprema com as mãos.
Dispense a água vermelha que sai e coloque as folhas, com as
umês e seu caldo salgado, em potes grandes de boca larga. São
as folhas de shissô que dão a cor avermelhada à umê.
limãoboshi e tamarindoboshi

Com limões orgânicos e tamarindos, igualmente ricos em ácido
cítrico, se faz o mesmo tipo de conserva, com efeitos semelhantes
ao da umeboshi.

banchá com umeboshi
Faça o banchá fervendo as folhas por três a cinco minutos e deixe
em infusão mais dez. Desmanche uma umeboshi na caneca, sirva
o banchá por cima e tome bem quente quando tiver algum
desconforto digestivo, indisposição, resfriado, dor de cabeça.

Para uma desintoxicação leve e rápida, use banchá com umeboshi
à noite e ao levantar durante 3 dias.

umeboshi carbonizada
O carvão pode ser um grande companheiro no tratamento da
cândida, por absorver as toxinas predatórias que ela produz.

Ajuda a conter o crescimento dos fungos e a minorar a sensação
de mal-estar quando se vão.

Umeboshi carbonizada – no forno, na frigideira ou na chama
do fogão, espetada num garfo – é como carvão vegetal ativado,
com excelentes propriedades desintoxicantes. Toma-se o
carvãozinho de umê, bem socado até virar pó, com uma xícara
de banchá quentinho ou só água quente.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

bebidas vegetais lactofermentadas
O tempo de fermentação das bebidas lactofermentadas pode
variar de 48 a 72 horas, dependendo da temperatura ambiente
e do grau de acidez desejado. Sabe-se que fermentou quando
começam a vir pequenas borbulhas à superfície. Daí em diante
ficarão cada vez mais ácidas se o frio não impedir.

rejuvelac de trigo e outros grãos
250g de trigo orgânico em grão
ou qualquer outro cereal orgânico
água filtrada (sem cloro)
1 vidro de boca larga de 1 litro, com tampa
1 pedaço de filó para cobrir a boca do vidro
1 elástico para prender o filó

Lave e deixe os grãos de molho na água durante a noite, com o
filó na boca do vidro, sem tampa.

De manhã lave duas ou trê vezes e coloque o vidro de boca para
baixo para escoar toda a água.

O filó impede a saída dos grãos e eles vão começar lentamente a
brotar. Lave duas ou três vezes por dia.

Depois de 48 horas, quando já estiverem aparecendo os germes,
lave bem e complete o vidro com água filtrada, fechando com o filó.

Deixe à temperatura ambiente por 48 horas e coe. O líquido, um
tanto amarelado e opaco, com sabor suave e levemente ácido, é
o rejuvelac. Guarde em vidro tampado na geladeira.

Os grãos ainda podem mais dois litros sucessivos de rejuvelac,
cada qual fermentando por 24 horas à temperatura ambiente.

suco de repolho fermentado
1/4 de repolho orgânico
1 colher de chá de sal
1/4 de xícara de soro de coalhada ou iogurte
água filtrada sem cloro
1 vidro de 1 litro com boca larga

Corte o repolho bem fininho, soque um pouco com pilão de
madeira só até ele soltar algum sumo e coloque tudo no vidro
com o sal, o soro e a água filtrada.

Feche o vidro com a tampa e deixe 48 a 72 horas à temperatura
ambiente, até ver que fermentou. Depois, geladeira.

Deste é para ir tomando copinhos ao longo do dia.

sobre o repolho
Muito usado em medicina popular, externa e internamente.
Rico em vitamina C e enxofre, limpa as mucosas intestinais e evita
uma infinidade de problemas infecciosos e inflamatórios.

kvass de beterraba
2 beterrabas médias ou 4 pequenas, orgânicas
1 colher de chá de sal
1/4 de xícara de soro de coalhada ou iogurte
água filtrada sem cloro
1 vidro de 1 litro com boca larga
Cortar as barbelas da beterraba, escovar debaixo da torneira e
picar com faca (não ralar nem usar o processador).
Colocar as beterrabas picadas, o soro e o sal no vidro e completar
com água filtrada.
Mexer, tampar bem e manter à temperatura ambiente por 48 a
72 horas; então guardar na geladeira.
Coar e servir. Tomar 2 xícaras por dia, antes das refeições.

sobre esta receita
Estava pesquisando sobre gordura & candidíase no livro Eat
fat, lose fat, de Mary Enig e Sally Fallon, da Weston A. Price
Foundation, quando me deparei com o seguinte texto: “Christine
sofreu com candidíase muitos anos (...) e começou a tomar o
kvass de beterraba, uma xícara antes de cada refeição. Os resultados
foram mágicos. Os sintomas de cândida desapareceram
imediatamente e a fadiga também.”

Kvass é uma bebida fermentada de origem russa, geralmente feita
a partir de um pedaço de pão seco, ou da própria massa crua
do pão. Refresca, alimenta e é muito popular. Tem sido amplamente
usado na Europa em terapias contra o câncer. Depoimentos
indicam que é excelente contra fadiga crônica, sensibilidade a
produtos químicos, alergias e problemas digestivos.

O kvass de beterraba tem “extraordinários poderes curativos:
grande tônico do sangue, promove a regularidade intestinal,
ajuda a digestão, limpa o fígado, equilibra o pH do sangue e é
um bom tratamento para pedras nos rins”.

É gostoso, levemente salgado, e a cor é linda. A sensação de
bem-estar é imediata.
sobre a beterraba

É muito rica em folacina, potássio, magnésio e enxofre.

A folacina, ou ácido fólico, faz parte do complexo B e é a vitamina
antissenil por excelência. Faz diferença em unhas, cabelos,
medula óssea, sistema imunológico, células vermelhas e algumas
membranas mucosas que dependem diretamente dela.

O potássio contribui para a transmissão dos impulsos nervosos,
o controle das contrações musculares do esqueleto e a normalidade
da pressão sanguínea. Interage com o sódio (no caso o
sal do kvass) no equilíbrio dos fluidos corporais e participa do
metabolismo de carboidratos e proteínas. Também é antissenil.

O magnésio trabalha com o fósforo para fixar o cálcio nos ossos
e nos dentes e permite que toda a musculatura do corpo
relaxe após uma contração. Regula o aproveitamento de diversas
vitaminas, inclusive do complexo B.

O enxofre é antibiótico natural, desintoxicante, antioxidante e
radioprotetor. Limita e desativa isótopos radiativos e metais pesados
como cádmio, chumbo e mercúrio. Desintoxica fígado e rins.

água benta de feijão-fradinho
Receita simplérrima, enviada por Simone Campello ao blog Deixa
sair. Melhora muito os sintomas genitais da candidíase nos primeiros dias.
Ela diz que ficou curada para sempre, mesmo bebendo cerveja.

1/2 copo de feijão-fradinho
água filtrada para completar

Cobrir e deixar de molho à noite.

Coar e tomar de manhã, em jejum, por no mínimo quinze dias.

A UFPE, Universidade Federal de Pernambuco, já fez todos os
estudos genéticos no fradinho, também chamado feijão-caupi,
e constatou que ele dá um ótimo remédio de uso externo,
provavelmente em spray, para “afecções ginecológicas” .